Animais selvagens Órix-de-cimitarra (Oryx dammah)

Órix-de-cimitarra (Oryx dammah)


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Subfamília: Hippotraginae
Género: Oryx
Espécie: O. dammah

Outros nomes:
Scimitar Oryx
Scimitar-Horned Oryx (Inglês)
Oryx algazelle (Francês)
Oryx de Libye (Francês)
Oryx blanc (Francês)
Oryx à cornes (Francês)
Órix de cuernos de cimitarra (Castelhano)

Distribuição:
O Orix-de-cimitarra era endémico da região do Norte de África. Os países e regiões de onde era nativo são; Argélia, Burkina Faso, Egipto, Líbia, Mali, Mauritânia, Marrocos, Nigéria, Senegal, Sudão, Tunísia e Saara Ocidental. Os últimos exemplares vivos foram registados no Níger e Chad, no início dos anos 90 do século passado, pelo que se supõem que se tenha extinguido na natureza, apesar de alguns relatos de avistamentos, que nunca se vieram a mostrar minimamente consistentes. Eram animais que viviam nas estepes e nas margens dos desertos, em grupos que podiam ir de 40 a mais de 100 animais, dependendo da quantidade de alimento e água disponível. Nas épocas de maior seca os grupos aumentavam de tamanho, quando havia mais água disponível os grupos fragmentavam-se, liderados por machos dominantes.

Estado de conservação:
Extinto na Natureza. (IUCN 2008)
O desaparecimentos dos habitats destes animais pela pressão exercida pelos humanos, a caça e a concorrência dos animais domésticos, podem ter sido as principais causas para o desaparecimento destes animais no estado selvagem. Existem no entanto bastantes destes animais um pouco por todo o mundo em zoos e quintas particulares, só nos Emirados Árabes Unidos estima-se haver mais de 4000 em quintas privadas. Estão a ser também criados algumas centenas em parques naturais e reservas de vários países da região que desenvolvem um projecto comum de reintrodução para dentro de alguns anos, até lá o objectivo é fazer aumentar os números nesses locais e aumentar a variedade genética, realizando trocas de animais entre si e entre os parques zoológicos envolvidos na protecção da espécie. O maior grupo encontra-se em Marrocos, no Parque Nacional de Souss-Massa e tinha mais de 240 animais monitorizados. Também nos Estados Unidos se estima existirem algumas centenas de animais em ranchos privados, que podem ajudar na preservação da espécie.

Hábitos alimentares:
Os animais desta espécie alimentam-se de ervas, folhas, frutos e raízes.

Maturidade sexual e gestação:
A maturidade sexual nesta espécie é atingida por volta dos dois anos. A gestação dura entre 8 meses e oito meses e meio, findos os quais nasce geralmente apenas uma cria com cerca de 10 quilos.

Tamanho e peso:
Estes animais podem ter entre um metro e um metro e vinte de altura, ter até dois metros e trinta de comprimento e pesar entre 110 e 200 quilos. Já os seus grandes chifres podem ter cerca de um metro de comprimento, quer nos machos quer nas fêmeas.

Esperança de vida
Viviam até cerca de 20 anos no estado selvagem, um pouco mais em cativeiro.


Notícias
Jardim Zoológico vê nascer duas crias de Órix-de-cimitarra
Portugal
Espécie já extinta na Natureza reproduz-se em Lisboa
O Jardim Zoológico orgulha-se de apresentar duas novas crias, duas fêmeas de Órix-de-cimitarra. Esta espécie está extinta na Natureza desde 2000, o que vem reforçar a importância do seu nascimento no Jardim Zoológico.

Publicidade


Galeria fotográfica

Classificados
São Paulo, Brasil
Pugs.com.br
São Paulo, São Paulo
Canil Menorah lindos filhotes
costa da caparica, portugal
desaparecido Mitroglu


Bicharada.net
Contacto
Login
Privacy policy