FeLV - Vírus da Leucemia Felina


FeLV - Vírus da Leucemia Felina A leucemia felina é uma doença viral que, na grande maioria dos gatos, se torna fatal. O vírus que a provoca, o FeLV, destrói o sistema imunitário dos gatos, tornando-os vulneráveis a muitas infecções que, em condições normais, não se tornariam tão severas, e estima-se que cerca de 30% dos gatos que entram em contacto com o vírus acabam por contrair a doença.

Como noutros casos, esta doença não é contraída nem pelos cães, nem pelo Homem, nem por outras espécies de animais. A transmissão do vírus ocorre quando um animal infectado liberta, de alguma forma, secreções que acabam por estar em contacto com outros gatos.

Os casos mais comuns de contaminação ocorrem em comedouros e bebedouros, em lutas, ou ainda através de espirros. Existem no entanto outras formas, que ocorrem entre a mãe e as crias, durante a gestação, durante a amamentação ou mesmo enquanto a mãe lambe os filhotes. A contaminação também pode ocorrer durante o acto sexual, entre muitas outras formas.

Um gato infectado com FeLV pode durar até cerca de três anos após ter contraído a doença, sendo que uma pequena percentagem (cerca de um quinto) dos gatos pode sobreviver durante mais algum tempo. Estima-se que 1% dos gatos esteja contaminado com o vírus do FeLV.

Existem dois grandes grupos de gatos com maior grau de risco de contraírem a doença: os gatinhos até aos seis meses e os gatos mais idosos. Isto não invalida que um gato possa ficar doente em qualquer altura da vida.

Se o seu gato fica doente e vulnerável com muita frequência deve visitar o veterinário para que possa ser realizada uma análise de despiste do vírus do FeLV, que deve ser repetida com um intervalo de tempo estabelecido pelo veterinário.

O vírus do FeLV destrói de forma sistemática os glóbulos brancos dos gatos que, privados das suas defesas naturais, se tornam muito vulneráveis a infecções. Existem outros sintomas a que deve estar atento, como a perda de peso injustificada, inflamações oculares, problemas intestinais frequentes, infertilidade, entre outros sintomas, mas só um veterinário na posse do resultado da análise pode fazer o diagnóstico. Como alguns destes sintomas são também comuns a outras patologias, as análises ao sangue são a única forma de se ter a certeza de uma animal estar contaminado com FeLV.

A melhor forma de forma de proteger o seu gato é fazer um plano de vacinação adequado, já que existe vacinação específica para esta doença. A vacina deverá ser ministrada na altura certa, a primeira dose entre as 8 e as 9 semanas de idade, e acompanhada por visitas periódicas ao veterinário para atestar do estado de saúde do seu gato e reforçar a vacinação contra esta e outras doenças.

Em gatos doentes existem tratamentos que permitem que o animal infectado tenha durante algum tempo uma melhor qualidade de vida, mas não existe para já forma de travar a doença. Um animal infectado não pode ser vacinado.

Se tiver um animal contaminado, deve evitar que este saia à rua e entre em contacto com outros gatos. Neste caso, não deve adoptar outros gatos não vacinados é uma questão de responsabilidade social.

Estas informações são genéricas e nunca deve fazer um diagnóstico desta ou de outras patologias com base no que lê ou no que lhe é dito por outros, que não o seu veterinário.



Truques & Dicas
Publicidade


Galeria fotográfica

Classificados
São Paulo, Brasil
Venda de Filhotes
Porto, Portugal
Procuro Cavalo Lusitano
Carnaxide, Portugal
Cão encotrado em Carnaxide


Bicharada.net
Contacto
Login
Privacy policy